O Governo de Minas irá investir R$ 175 milhões na área da saúde na região Norte do estado.

O valor será destinado a melhorias e ampliação do acesso aos serviços hospitalares em 86 municípios, como fortalecimento dos cuidados primários, retomada de obras de Unidade Básica de Saúde (UBS), compra de veículos de transporte de pacientes, leitos e cirurgias eletivas.

O anúncio foi feito nessa sexta-feira (11) pelo governador Romeu Zema e pelo secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, durante visita ao Hospital Aroldo Tourinho, em Montes Claros.

“Estamos iniciando um novo momento na Saúde em Minas. Com a pandemia, todos os nossos esforços foram no sentido de levar adiante o processo de imunização e na ampliação de leitos. Agora, a Saúde em Minas precisa e já está recebendo outros investimentos. No ano passado batemos recorde em investimentos em Saúde, nunca se investiu tanto. Para a região Norte estamos trazendo recursos de diversas maneiras. Minas Gerais passa a ter condições de investir na Saúde, até porque não estamos gastando dinheiro desnecessariamente naquilo que é questionável. Somos um governo austero que gasta naquilo que leva benefício para o cidadão e não privilégio para poucos”, afirmou o governador Romeu Zema, durante coletiva à imprensa. Ele esteve acompanhado de secretários de Estado, deputados federais e estaduais.

Cuidados primários

A maior parte do investimento, cerca de R$ 100 milhões, será aplicada no fortalecimento dos cuidados primários. Isso representa o aprimoramento do atendimento de consultas médicas, de enfermagem, odontológicas, vacinas, curativos e saúde da família. Esse atendimento é fundamental para a prevenção de doenças e ajuda a reduzir os casos mais complexos. Em 2021, em todo estado, foram empregados R$ 857 milhões na Atenção Primária à Saúde (APS). Esse é o maior valor já investido na história de Minas e supera os investimentos acumulado dos últimos quatro anos.

O secretário de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, explicou a importância destes investimentos na região.

“O legado mais importante da pandemia, além da vacina, são os leitos de UTI. Aqui no Aroldo Tourinho ficaram cinco leitos de CTI adulto como legado. E nós estamos dobrando o valor repassado para custeio. Por muito tempo a região Norte foi deixada de lado, então são mais de 70 leitos que ficarão ativos por aqui”, afirmou Baccheretti. 


UBS

Obras de 15 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) poderão ser retomadas com o aporte de R$ 9,6 milhões. Em Montes Claros, serão destinados R$ 1,8 milhão para conclusão de duas novas UBS. Uma está no bairro Vila Anália e a outra no Bairro Village do Lago III. As obras estavam paradas desde 2014 e o pagamento para a retomada está previsto para abril. Além de Montes Claros, serão contempladas as cidades de Bocaiúva, Botumirim, Buritizeiro, Espinosa, Grão Mogol, Jaíba, Montalvânia, Montezuma, Pirapora, Porteirinha, Rio Pardo de Minas e Verdelândia.

Para que o atendimento médico seja garantido a todos, o Governo de Minas também destinou R$ 24 milhões para a compra de veículos de transporte sanitário eletivo, que serão entregues em 84 municípios. Dessa forma, as pessoas que precisam se deslocar para fazer exames ou consultas especializadas fora de seu domicílio poderão viajar com mais segurança e conforto.

Cirurgias eletivas

Por meio do Opera Mais, Minas Gerais, a região Norte terá um aporte de R$ 11,5 milhões para desafogar a fila de cirurgias eletivas que ficaram represadas durante a pandemia. O programa é mais uma ação da Política de Atenção Hospitalar, dentro do Valora Minas. O Estado também investiu R$ 6,6 milhões para a capacitação profissional por meio do programa Saúde em Rede.

Cinco municípios ainda receberão repasse de R$ 2 milhões para ampliação da Atenção Especializada em Doença Renal Crônica, beneficiando os pacientes que precisam de hemodiálise. Ainda foram empenhados R$ 15 milhões para que dez hospitais possam adquirir novos tomógrafos e modernizar os equipamentos existentes.

O Norte de Minas teve 78 leitos de UTI incorporados em oito hospitais. A quantidade de leitos pediátricos cresceu 250% em fevereiro de 2022 comparado com o mesmo mês em 2020. Já o número de UTI adulto aumentou 56% nesse período. Como incentivo para a manutenção de leitos adicionais para tratamento da covid, o Governo de Minas pagará R$ 4,4 milhões.

Valora Minas

Além desses investimentos, a região Norte também contará com um aumento de 87% no financiamento hospitalar.  Desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), o Valora Minas representa a reestruturação da antiga Política de Atenção Hospitalar do Estado, vigente desde 2003. A nova proposta leva em consideração as necessidades da população, corrigindo diferenças na aplicação de recursos entre as regiões. Ao todo, o governo vai destinar R$ 1 bilhão para investimentos.

O objetivo é ampliar o acesso e melhorar a qualidade dos serviços prestados à população, aumentar a oferta de leitos e serviços, principalmente nas especialidades de média complexidade.

Com a nova política, a região Norte do estado recebeu R$ 35 milhões a mais no último ano em comparação com 2020. Ao todo, foram R$ 76,5 milhões investidos pelo programa na região, o que corresponde a um aumento de 87% em 2021.

Recursos para Montes Claros

Por meio do Valora Minas, Montes Claros teve um acréscimo de 72% nos repasses para a atenção hospitalar em 2021, tendo recebido R$ 31,2 milhões. Em 2020, o valor empenhado ao município foi de R$ 18,7 milhões. Foram R$ 12,4 milhões a mais para a assistência à saúde.

O Hospital Aroldo Tourinho, visitado pelo governador Romeu Zema, recebeu incremento de 86% nos repasses por meio do Valora Minas, o que representou, em recursos, incremento de R$ 2,9 milhões. Em 2021, ao todo, a unidade de saúde recebeu R$ 6,3 milhões.

“É a primeira vez que o hospital recebe a visita de um governador. Isso representa a possibilidade de ampliar ainda mais a nossa assistência à população do Norte de Minas e Montes Claros e consolidar a parceria com o governo do Estado. Destacamos a importância dessa visita para o Hospital Aroldo Tourinho, que atende quase que 70% SUS em toda região”, afirmou o presidente da Fundação Hospitalar de Montes Claros, Paulo César Gonçalves de Almeida.

O município de Montes Claros ainda receberá R$ 8,1 milhões para investir na Atenção Primária à Saúde (APS). Também já foi repassado R$ 1,6 milhão referente ao programa Opera Mais, Minas Gerais para a realização de cirurgias eletivas.

Leitos UTI

Montes Claros teve 42 leitos de UTI – criados para atendimento de covid-19 – incorporados ao atendimento geral. Dez deles são de UTI pediátrica no Hospital das Clínicas Doutor Mário Ribeiro da Silveira. Dos 32 leitos de UTI para adultos, 22 foram para o Hospital das Clínicas Doutor Mário Ribeiro da Silveira, 5 para o Hospital Aroldo Tourinho, 3 no Hospital Universitário Clemente Faria e 2 no Hospital Dilson Godinho. Para leitos adicionais de covid-19, o município será contemplado com R$ 1,3 milhão.

Como uma das cidades referência no atendimento de pessoas com doença renal crônica na região, Montes Claros também foi contemplada com R$ 760 mil para o Hospital Dilson Godinho e a Santa Casa, que oferecem serviços de hemodiálise. Os tomógrafos desses dois hospitais serão modernizados.

Fonte: Agência Minas

Comentários
COMPATILHAR: