Imposto de Renda poderá ser salvo na web

Pessoas poderão, com isso, usar vários dispositivos para fazer declaração.
Segundo Fisco, é uma ‘nuvem própria’ do órgão, com segurança necessária.

COMPATILHAR:

Pessoas poderão, com isso, usar vários dispositivos para fazer declaração. Segundo Fisco, é uma 'nuvem própria' do órgão, com segurança necessária.

A Secretaria da Receita Federal informou nesta segunda-feira (23) que disponibilizará mais uma facilidade para o contribuinte preencher sua declaração do Imposto de Renda (IRPF) 2015, cujo prazo de entrega começa em 2 de março e se estende até 30 de abril.

De acordo com o subsecretário de Gestão Corporativa do Fisco, Marcelo de Melo, os contribuintes poderão iniciar sua declaração em um computador e finalizá-la em outro equipamento. Para que isso seja possível, a declaração ficará gravada na nuvem, ou seja, em um arquivo fora de seu computador pessoal e possível de ser acessado em qualquer lugar. Esse é o primeiro ano no qual esse sistema será possível.
‘Nuvem’ segura
É uma ‘nuvem’ da própria Receita, com todos dispositivos de segurança. Estão sendo mantidos todos dispositivos de segurança e a construção da declaração em diversos dispositivos. O contribuinte poderá começar o preenchimento em um computador, passar para outro e finalizar em um terceiro se quiser. Com isso, queremos facilitar ao contribuinte o preenchimento da declaração do IR, disse Melo a jornalistas.
Segundo o subsecretário de Arrecadação e Atendimento do Fisco, Carlos Roberto Occaso, isso proporcionará total mobilidade ao contribuinte. Isso é muito importante porque, na vida moderna, os contribuintes têm informações em vários lugares. Esse arquivo salvo em nuvem não é uma declaração feita pelo contribuinte. A Receita não tem acesso. Juridicamente, não é uma declaração, explicou ele.
Programa do IR
Neste ano, o Fisco disponibilizará o programa do Imposto de Renda 2015, necessário para realizar a declaração pelos contribuintes, somente a partir das 8h do dia 2 de março, no primeiro dia de entrega do documento. A declaração poderá ser entregue até o dia 30 de abril.
Com isso, o programa será liberado mais tarde do que foi registrado nos últimos anos. Em 2014, por exemplo, os contribuintes puderam fazer o download do programa em 26 de fevereiro, alguns dias antes do início do prazo formal de declaração, e no ano anterior, em 2013, em 25 de fevereiro.
Formas de entrega e multa por atraso
A entrega da declaração do Imposto de Renda 2015 poderá ser feita pela internet, com o programa de transmissão da Receita Federal (Receitanet), online (com certificado digital), na página do próprio Fisco, ou por meio do serviço Fazer Declaração – para tablet e smartphone, como já aconteceu no ano passado.
Se o contribuinte entregar depois do prazo ou se não declarar, caso seja obrigado, poderá ter de pagar multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido nela calculado, ainda que integralmente pago, ou uma multa mínima de R$ 165,74.

COMPATILHAR:

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Imposto de Renda poderá ser salvo na web

Pessoas poderão, com isso, usar vários dispositivos para fazer declaração. Segundo Fisco, é uma ‘nuvem própria’ do órgão, com segurança necessária.

COMPATILHAR:

Pessoas poderão, com isso, usar vários dispositivos para fazer declaração. Segundo Fisco, é uma 'nuvem própria' do órgão, com segurança necessária.

 

A Secretaria da Receita Federal informou nesta segunda-feira (23) que disponibilizará mais uma facilidade para o contribuinte preencher sua declaração do Imposto de Renda (IRPF) 2015, cujo prazo de entrega começa em 2 de março e se estende até 30 de abril.

De acordo com o subsecretário de Gestão Corporativa do Fisco, Marcelo de Melo, os contribuintes poderão iniciar sua declaração em um computador e finalizá-la em outro equipamento. Para que isso seja possível, a declaração ficará gravada na “nuvem”, ou seja, em um arquivo fora de seu computador pessoal e possível de ser acessado em qualquer lugar. Esse é o primeiro ano no qual esse sistema será possível.

 

‘Nuvem’ segura

“É uma ‘nuvem’ da própria Receita, com todos dispositivos de segurança. Estão sendo mantidos todos dispositivos de segurança e a construção da declaração em diversos dispositivos. O contribuinte poderá começar o preenchimento em um computador, passar para outro e finalizar em um terceiro se quiser. Com isso, queremos facilitar ao contribuinte o preenchimento da declaração do IR”, disse Melo a jornalistas.

Segundo o subsecretário de Arrecadação e Atendimento do Fisco, Carlos Roberto Occaso, isso proporcionará “total mobilidade” ao contribuinte. “Isso é muito importante porque, na vida moderna, os contribuintes têm informações em vários lugares. Esse arquivo salvo em nuvem não é uma declaração feita pelo contribuinte. A Receita não tem acesso. Juridicamente, não é uma declaração”, explicou ele.

 

Programa do IR

Neste ano, o Fisco disponibilizará o programa do Imposto de Renda 2015, necessário para realizar a declaração pelos contribuintes, somente a partir das 8h do dia 2 de março, no primeiro dia de entrega do documento. A declaração poderá ser entregue até o dia 30 de abril.

Com isso, o programa será liberado mais tarde do que foi registrado nos últimos anos. Em 2014, por exemplo, os contribuintes puderam fazer o “download” do programa em 26 de fevereiro, alguns dias antes do início do prazo formal de declaração, e no ano anterior, em 2013, em 25 de fevereiro.

 

Formas de entrega e multa por atraso

A entrega da declaração do Imposto de Renda 2015 poderá ser feita pela internet, com o programa de transmissão da Receita Federal (Receitanet), online (com certificado digital), na página do próprio Fisco, ou por meio do serviço “Fazer Declaração” – para tablet e smartphone, como já aconteceu no ano passado.

Se o contribuinte entregar depois do prazo ou se não declarar, caso seja obrigado, poderá ter de pagar multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido nela calculado, ainda que integralmente pago, ou uma multa mínima de R$ 165,74.

Redação do Jornal Nova Imprensa G1

COMPATILHAR:

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.