A Polícia Civil indiciou um médico de 40 anos por importunação sexual contra uma jovem de 18 anos enquanto realizava uma massagem em Montes Claros, no Norte de Minas. O caso ocorreu em 17 de agosto deste ano e o inquérito foi concluído nessa terça-feira (25).

O crime foi denunciado pela mulher que atendia o homem na sessão. Durante a prestação do serviço, o suspeito teria se masturbado diante da vítima.

Nas investigações feitas pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, foi levantado que após 15 minutos de massagem, o médico pediu para se virar e ficar deitado de barriga para cima. Nesse instante, ele solicitou que a jovem massageasse próximo à virilha dele, e ela continuou a massagem abaixo do joelho.

Segundo relatos da vítima, no momento em que iniciou a massagem nos pés do suspeito, o homem começou a se masturbar olhando fixamente para ela, que abaixou a cabeça, em estado de choque. A jovem disse ainda que o suspeito teria deixado o órgão genital à mostra e, depois de ejacular, pediu a ela um papel para se limpar. Ao deixar o local, rapidamente o investigado teria lhe entregado a quantia de R$150.

Em depoimento, o homem alegou que “pegou no sono e ejaculou de forma espontânea“, inclusive, segundo explicou, não foi a primeira vez que isso teria acontecido com ele. Sobre o valor pago à vítima, o suspeito disse ter julgado ser o preço da massagem contratada, mesmo tendo pago R$ 80 pelo serviço na recepção. Ele ainda confirmou ter se limpado com papel higiênico após ejacular.

A delegada Karine Maia, que coordenou a investigação, afirmou que o suspeito apresentou “muitas contradições em suas declarações, entre elas, a de que a ejaculação foi espontânea“. “O conjunto probatório é robusto e suficiente para comprovação da materialidade e autoria do crime“, pontuou a delegada.

 

Fonte: O Tempo

 

Comentários
COMPATILHAR: