Minas espera imunizar toda a população com a dose de reforço da vacina bivalente da Pfizer – versão atualizada dos imunizantes contra Covid que contemplam sublinhagens da variante Ômicron -, ainda no primeiro semestre de 2023. A informação foi revelada pelo secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti.

“A expectativa é que toda a população tome uma dose de reforço (no próximo ano), essa vacina bivalente da Pfizer, provavelmente. Deve ser junto com a influenza, que acontece em abril e maio, mas a gente pede para adiantar devido ao período de sazonalidade”, disse o secretário.

Segundo Baccheretti, no entanto, para que isso se concretize é necessária a compra de mais vacinas pelo Ministério da Saúde. O assunto foi tema de reunião entre representantes do Conselho Nacional de Secretários de Saúde – no qual ele é vice-presidente – e da equipe de transição montada pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Há uma cobrança. Há um mês estivemos no conselho e lá passamos até para a equipe de transição a necessidade de estabelecer um calendário anual”, revelou.

Para o secretário, a expectativa é que o esquema vacinal contra a Covid-19 seja modificado e passe a ser previsto em um calendário de vacinação anual.

Bivalente

A vacina bivalente da Pfizer contra a Covid-19 teve o uso emergencial aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). De acordo com a Anvisa, os imunizantes devem ser utilizados como doses de reforço contra a doença.

As aplicações do imunizante atualizado já fazem parte de diversos programas de vacinação, como os do Reino Unido, dos Estados Unidos e do Chile, que incorporam as novas doses ainda em outubro. No Brasil, chegaram quase 4,5 milhões e meio de doses.

Segundo o Ministério da Saúde, os imunizantes passarão por avaliação e análise do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde.

Entretanto, ainda não há previsão de quando as vacinas bivalentes começam a ser aplicadas nem qual será o público-alvo.

Fonte: Hoje em Dia

COMPATILHAR: