O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) publicou uma portaria decretando estado de emergência zoossanitária, devido aos casos de influenza aviária de Alta Patogenicidade, de subtipo H5N1, registrados no país.

Segundo informação do jornal Folha de S. Paulo, o decreto deve vigorar por 180 dias, com a possibilidade de prorrogação por prazo indeterminado. Uma das medidas seria a suspensão de feiras de exposição de aves. Os consumidores, a princípio, não devem ser afetados.

Os primeiros casos de influenza aviária no país foram registrados no dia 15 de maio, em Marataízes e em Vitória, no Espírito Santo. No último sábado (20), mais dois casos foram confirmados, totalizando cinco infecções entre aves do país.

Segundo o Ministério da Agricultura, não houve contaminação de aves que fazem parte do sistema de produção em fábricas de frangos e ovos. O abastecimento interno não deve ser afetado.

Gripe aviária

É uma doença viral altamente contagiosa e que afeta aves silvestres e domésticas. Atualmente, o mundo vive uma pandemia da influenza, sendo a maioria por meio do contato de aves migratórias com aves de subsistência, produção ou silvestres de uma região.

O vírus pode ser transmitido ao homem pode meio do contato com aves infectadas, vivas ou mortas. Se encontrar uma ave com os sintomas da doença (andar cambaleante, pescoço deitado e alta mortalidade em uma área), a orientação é acionar o serviço veterinário de sua cidade ou fazer uma notificação no e-Sisbravet.

Não toque ou recolhe aves doentes, pois o vírus fica presente em fezes e secreções respiratórias dos animais.

A gripe aviária não é transmitida pelo consumo de carne de frango ou ovos.

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: