A Nicarágua confirmou, nesta quinta-feira (16), a destituição da embaixadora do país no Brasil, Lorena del Carmen Martínez. A pessoa que irá substituí-la não foi anunciada.

A representante nicaraguense estava na função desde 2013. O motivo para a saída não foi informado. A troca ocorre há exatos nove dias depois do governo brasileiro anunciar abrigo para migrantes que desejem deixar o país da América Central.

A CNN apurou junto a diplomatas brasileiros, que a mudança na embaixada se trata de um movimento natural. Ainda segundo essas fontes, a iniciativa da troca partiu do governo da Nicarágua.

Oficialmente, o Itamaraty informou que “os processos de substituição de embaixadores junto ao governo brasileiro são rotineiros e sigilosos até a concessão do agrément. O Brasil não dá tratamento público sobre processos de agrément.

 

Cenário internacional

Um relatório do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), divulgado em março, acusou a ditadura da Nicarágua de crimes contra a humanidade pela repressão contra dissidentes do regime.

Na época, o governo brasileiro evitou condenar a ditadura de Daniel Ortega e não se juntou a uma moção de repúdio assinada por mais de 50 países.

Dias depois, em nova reunião do Conselho e sob críticas dentro e fora do país, a diplomacia do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mostrou preocupação com “sérias violações de direitos humanos na Nicarágua” e defendeu uma saída construtiva para a crise.

 

Fonte: CNN

 

COMPATILHAR: