A Rússia acusou Washington de estar por trás do que diz ser um ataque de drones ao Kremlin e uma tentativa de assassinato contra o presidente Vladimir Putin, a mais recente de uma série de alegações sobre o incidente de quarta-feira (3).

Quando perguntado pela CNN se o Kremlin acreditava que os EUA estavam por trás do ataque, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse: “Sem dúvida, tais decisões, a definição de objetivos, a definição de meios – tudo isso é ditado por Washington a Kiev”.

Estamos bem cientes disso”, acrescentou. “Estamos bem cientes de que as decisões sobre tais ações e ataques terroristas não são tomadas em Kiev, mas em Washington. E Kiev já está executando o que lhe foi dito para fazer”, disse Peskov.

Tais tentativas de negar isso tanto em Kiev quanto em Washington são, é claro, absolutamente ridículas.

O porta-voz do Kremlin dobrou as acusações, sem fornecer nenhuma evidência, expandindo a visão da Rússia sobre como essas decisões são tomadas.

Sabemos que nem mesmo Kiev determina os próprios objetivos, eles são determinados em Washington, e então esses objetivos são levados a Kiev para que Kiev cumpra [essas tarefas]”, disse Peskov. “Nem sempre é dado a Kiev o direito de escolher os meios, isso também é feito do outro lado do oceano.

Washington deve entender claramente que sabemos disso”, acrescentou.

Peskov não forneceu nenhuma evidência para suas alegações, nem detalhes adicionais sobre o suposto ataque, dizendo que as informações seriam divulgadas posteriormente.

Ele também disse aos jornalistas que Putin está “calmo”, apesar do suposto ataque e tentativa de assassinato.

Você sabe que em situações tão difíceis, extremas, o presidente sempre se mantém calmo, sereno, claro em suas avaliações, nas ordens que dá”, acrescentou. “Portanto, nada mudou nesse sentido.

Ele afirmou à CNN que o suposto ataque danificou duas chapas de cobre do Palácio do Senado, que serão consertadas.

No início desta semana, a Rússia alegou que a Ucrânia lançou um ataque de drones contra o Kremlin em uma tentativa de matar Putin, a residência oficial do presidente russo e o símbolo mais poderoso do poder em Moscou.

A Ucrânia negou veementemente envolvimento no suposto ataque.

Autoridades dos EUA disseram anteriormente que ainda estavam avaliando o incidente e não tinham informações sobre quem poderia ter sido o responsável.

 

Pentágono nega envolvimento

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, negou o envolvimento dos EUA no suposto ataque de drones ao Kremlin e acusou o porta-voz do presidente russo de mentir.

Eu apenas diria a você que o senhor [Dmitry] Peskov está mentindo. Quero dizer, é obviamente uma afirmação ridícula. Os Estados Unidos não tiveram nada a ver com isso. Nós nem sabemos o que aconteceu. Mas posso garantir que os EUA não tiveram nenhum papel nisso”, disse Kirby.

A Casa Branca ainda não tem indicação de quem estava por trás do ataque de drones e disse que a Casa Branca não “endossa, não encoraja, não apoia ataques a líderes individuais”, acrescentou Kirby.

 

Fonte: CNN

 

COMPATILHAR: