O preço do diesel caiu mais 3,5% nos postos brasileiros, com repasses do corte promovido pela Petrobras em suas refinarias no início do mês, informou nesta sexta-feira (17) a Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP).

Essa semana, o diesel S-10 foi vendido, em média, a R$ 6,10 por litro, R$ 0,22 a menos do que o verificado na semana passada. É o menor valor desde a segunda semana de março de 2021, antes da escalada provocada pelos mega-aumentos promovidos pela estatal após o início da guerra na Ucrânia.

Desde a semana do reajuste, o preço do diesel S-10 nas bombas tem queda acumulada de 4,5%, ou R$ 0,29 por litro. A queda do preço do diesel nas bombas é comemorada por aliados do governo, mas dados do setor indicam que não há espaço nesse momento para mais cortes nas refinarias.

Segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), o preço médio do diesel vendido pelas refinarias brasileiras estava praticamente alinhado às cotações internacionais na abertura do mercado desta sexta.

Há uma pequena defasagem de 1%, ou R$ 0,04 por litro. No caso da gasolina, o preço médio praticado pelos produtores brasileiros está 4%, ou R$ 0,11 por litro, acima da paridade de importação, conceito que simula quanto custaria importar o combustível.

Nos postos, a gasolina ficou praticamente estável esta semana, em R$ 5,07 por litro. A Petrobras aumentou o preço em suas refinarias no fim de janeiro, ainda antes da posse do indicado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para presidir a companhia, Jean-Paul Prates.

Segundo a ANP, o preço do etanol também não teve variação esta semana, ficando em R$ 3,80 por litro. O setor reclama que o produto tem hoje pouca competitividade e vem tentando impedir nova prorrogação da desoneração fiscal sobre a gasolina, que vence no fim do mês.

Mesmo cenário foi detectado com o preço do gás de cozinha, que foi vendido, em média, a R$ 107,77 por botijão de 13 quilos.

(Nicola Pamplona / Folhapress)

Fonte: O Tempo

COMPATILHAR: