Os registros de novos casos de Covid-19 voltaram a subir no Sul de Minas e já acumulam três semanas de alta. Em uma semana, o número de registros quase dobrou na região.

Conforme os dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), o Sul de Minas registrou +2.252 casos nesta semana, com quatro mortes. O número de novos casos é 87% do que em relação à semana passada, quando a região registrou +1.202 casos.

Os dados da SES-MG também apontam que algumas cidades voltaram a registrar mais de 100 casos na semana. Itajubá, Lavras, Poços de Caldas, Varginha, Pouso Alegre, Guaxupé e Passos seguiram essa tendência.

  • Esta semana: +2.252 casos, com 4 mortes
  • Há 1 semana: +1.202 casos, com 1 morte
  • Há 2 semanas: +963 casos, com 4 mortes

Desde o início da pandemia, conforme os dados da SES-MG, o Sul de Minas já teve confirmados 571.531 casos positivos de Covid-19, sendo 8.642 mortes em decorrência da doença.

Estes dados são referentes ao balanço publicado pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais e podem apresentar divergências com os já divulgados por prefeituras, devido a períodos diferentes de fechamento.

As cidades que tiveram mais casos confirmados pela SES-MG nesta semana foram:

  • +170 Itajubá
  • +157 Lavras
  • +139Poços de Caldas
  • +138 Varginha
  • +132 Pouso Alegre
  • +131 Guaxupé
  • +124 Passos

Já as cidades que tiveram mortes confirmadas pela SES-MG na semana foram:

  • +1 Bom Jesus da Penha, São Lourenço, Caldas e Lambari.
  • Até o momento, em Minas Gerais, são 3.370.918 casos confirmados de Covid-19, com 61.410 mortes. Conforme a SES-MG, 3.225.898 pessoas estão recuperadas.

Divergência de números

Os números de casos e mortes divulgados pela SES-MG têm sido diferentes dos que estão sendo anunciados diariamente em boletins de prefeituras. Definido como caso suspeito, o município preenche um formulário com os dados do paciente denominado RedCap, específico do Ministério da Saúde. Através deste formulário é gerado todo o banco de dados do Coronavírus no Estado.

O COES Coronavírus analisa esse banco de dados diariamente, reclassifica os casos, solicita novas informações ao município e faz o cruzamento dos resultados de exames laboratoriais. Após todo esse trabalho, que é realizado até as 13h do dia corrente, é que os dados estarão tratados para fazerem parte do Boletim Diário.

Dessa forma, é necessário percorrer todo este fluxo de notificação para que os casos sejam incluídos no boletim epidemiológico divulgado pela SES-MG e, por esta razão, divergências pontuais entre os municípios e os casos já computados pela SES-MG, podem ocorrer, tanto em relação a casos quanto a mortes confirmadas.

Fonte: G1

Comentários