O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) representou nesta semana uma denúncia na Vara Criminal de Patrocínio, no Alto Paranaíba, contra um homem de 26 anos. Uma câmera de segurança flagrou o momento em que o suspeito agrediu, com uma voadora, Valdir Prates Braga, de 62 anos, que pouco tempo depois morreu em ambulância a caminho do hospital.

O crime aconteceu no fim da manhã do dia 10 de novembro (uma sexta-feira). O suspeito foi preso pela Polícia Militar (PM) na noite do mesmo dia. Conforme registro policial, ele já tinha passagens policiais por lesão corporal, agressão e furto.

Segundo informações do documento da denúncia do MP, assinado pelo promotor de justiça, Aloísio Cunha Soares Júnior, o crime está enquadrado na prática do delito de homicídio qualificado majorado por motivo fútil e recurso que dificultou a defesa da vítima.

O suspeito teria ficado com ciúmes porque a vítima ofereceu uma banana para sua ex-namorada

Segundo o apurado, no dia e horário acima mencionados, o denunciado estava em frente à residência de sua ex-namorada, situada no bairro Enéas Ferreira de Aguiar, em Patrocínio, tentando reatar o relacionamento. Nesse contexto, a vítima, Valdir Prates Braga, que morava em uma casa vizinha, saiu para a via pública com algumas bananas. Ato contínuo, como já era costume do ofendido, Valdir ofereceu a fruta para a moça, a qual aceitou o alimento”, diz trecho do documento.

Em seguida, segundo o MPMG, a vítima continuou seu trajeto, seguindo em direção à esquina. “Contudo, o autor, enfurecido de ciúmes, sem pronunciar uma palavra sequer, correu em direção ao idoso e aplicou-lhe uma “voadora”, acertando as costas do ofendido. A vítima, que não possuiu chance de defesa, caiu violentamente, chocando sua parte frontal da cabeça contra a calçada”, destacou a denúncia.

O documento do MP continua que, logo após concluir o crime, o denunciado ainda ficou por alguns momentos rodeando o local. “Ele proferiu ofensas contra a vítima e ameaçava testemunhas, tendo dito para sua ex-namorada que iria lhe dar um tiro na cara. A dinâmica criminosa foi registrada por câmeras de segurança”, diz outro trecho do documento.

 

Fonte: Estado de Minas

 

COMPATILHAR: