Uma adolescente, de 15 anos, foi diagnosticada com uma doença rara que não permite que ela tenha contato com a água. Segundo o jornal New York Post, Abigail Beck, que mora em Tucson, no Arizona (EUA), foi ao médico e relatou sentir dor semelhante a um ácido ao chorar e ao tomar banho.

Mesmo com os sintomas há três anos, a menina recebeu o diagnóstico apenas em abril deste ano. Ela possui uma condição rara chamada urticária aquagênica, que atinge apenas 100 pessoas no mundo.

A adolescente revelou, em entrevista ao jornal norte-americano, que acreditava que a dor que sentia era algo normal. “Perguntei à minha mãe recentemente se ela se lembra quando perguntei isso e por que ela não achou que algo estava errado […] Ela disse que achava que era algo que uma criança diria”, contou.

Abigail pensava que os produtos que usava poderiam ser a causa da alergia ou que algo estivesse errado com a água. No entanto, após algum tempo, ela chegou à conclusão de que tomar banho e nadar eram coisas comuns, mas que a deixavam com muita dor.

A menina não toma água há um ano. “Eu vomito se bebo água, meu peito dói muito e meu coração começa a bater muito rápido”, revela. Para ficar hidratada, ela toma medicamentos e ingere alimentos com pouca água, como energéticos e suco de romã puro.

Recentemente, Abigail teve uma reação mais “pesada” após ingerir uma bebida esportiva com mais água do que ela deveria consumir. “Eu tive uma reação por cerca de quatro horas em que meu estômago estava com cólicas, meu peito estava doendo e eu estava muito tonta e cansada”, contou a adolescente, que admite ter que “verificar rótulos”.

O momento do banho também é bastante complicado. “Quando tomo banho, começa bem leve, depois fico com uma erupção cutânea e vergões vermelhos, depois se desenvolve uma urticária”, disse a jovem, que acrescentou: “Quando eu saio, a reação realmente começa a acontecer. Eu tenho que secar o mais rápido possível. Eu tenho que deixar a água correr e sair da água enquanto lavo meu cabelo”.

Por ser uma doença rara, existem poucas informações sobre ela. Abigail confessa que sente medo, pois não sabe o que poderia te matar. “Tenho sintomas que podem fazer meu coração parar, mas ninguém sabe nada sobre a condição, então eles não sabem se meu coração ou pulmões podem parar de funcionar”.

“Eu tive que educar meus médicos sobre minha condição porque eles nunca tiveram que lidar com isso antes”, completou. De acordo com a adolescente, a sensação quando ela chora é de que seu rosto está sendo queimado. “Eu choro como uma pessoa normal, e isso dói”, desabafa. O suor e a chuva também são problemas. “Se estiver chovendo, eu provavelmente não sairia, mas se for preciso, me certifico de estar totalmente coberta com uma jaqueta e três pares de calças de moletom”, disse ao jornal.

Apesar disso, Abigail tenta se manter otimista. “Tenho medo de que, se um dia sair do controle, ninguém saberá o que fazer, inclusive eu. Eu nem sei como me ajudar. Tento me manter de bom humor e sei que, se algo acontecer, as pessoas ao meu redor farão o melhor que puderem”.

Fonte: Itatiaia

Comentários