Doria havia decido desistir da campanha presidencial por não ter apoio dentro do tucanato e estar na parte de baixo das pesquisas.No entanto, uma carta do presidente do PSDB, Bruno Araújo, fez com que Doria decidisse, de fato, disputar o Palácio do Planalto.

“Quero estar com vocês a partir do dia 2 (de abril) para mostrar que é possível, sim, apresentar uma alternativa para o Brasil. Uma alternativa de paz, trabalho, dedicação, humildade e integração de todo Brasil. E fazer isso com determinação, longe da ideologia, distante do populismo e condenando a corrupção e o mau trato ao dinheiro público”, disse Doria.

Doria disse em discurso que o brasileiro não quer Lula ou Bolsonaro para Presidência da República. Ele disse que a polarização entre os dois é uma disputa de “rejeitados”. “A desaprovação de um e de outro é o que alimenta o voto de um contra outro. E não o voto a favor. Agora, é hora do voto ser a favor do Brasil”, disse o tucano.

No lugar de Doria assume Rodrigo Garcia (PSDB), que é pré-candidato ao Governo Paulista na eleição deste ano.

“Nosso trabalho continua em São Paulo pelas mãos de Rodrigo Garcia, que será, a partir do dia 2 (de abril), novo governador de São Paulo e será reeleito governador de São Paulo”, disse Doria.

 

 

Fonte: O Tempo

Comentários